sábado

Pressão vital


A vida queima 
ombros crepitam 
me colore o pó das eras  
areia foge das mãos 
terra gruda nos pés 

Por breves instantes 
penso em reclamar 
mas sem pressão 

Nunca serei diamante


Joakim Antonio 

9 comentários:

Rita Schultz disse...

o corpo não conhece a natureza do diamante.
ser corpo é ser vida!
beijos, poeta!

Joakim Antonio disse...

@ritaschultz

Que sempre saibamos como viver! Beijos

Suzana Martins disse...

tu és pedra que lapida a poesia em diamantes eternos...

Beijos querido poet'amigo!!

Joakim Antonio disse...

@suzannamartins

Que possamos melhorar sempre! Beijos

ValeriaC disse...

Fantásticoooo... com toda certeza, sem pressão, sem algumas resistências da vida, não aprendemos a superar e a consequentemente, crescermos...fazem parte de todo um processo de nosso permanente evoluir...
Beijos
Valéria

Lai Paiva disse...

Joakim, diamante ou não, as palavras se tornam preciosas quando fluem de vc. Beijo!

Renata Fagundes disse...

diamante é pedra
corpo, sangue é vida
palavras se transformam em joia rara
lapidadas por um poeta

Te amo vida

Helinha disse...

E a sua poesia, o seu carinho, a sua presença amiga são mais que preciosos para mim, sempre! Preciosidade indestrutível!

Beijos (com pãozim de queijo e cafezim)!!

Toninhobira disse...

Legal este cantinho amigo.Os sentimentos que envolvem o coração é o ponto certo de nossa fusão e lapidação.E nobre é esta humildade,que nos faz jóia rara de imenso valor.
Um abraço amigo.

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...